segunda-feira, 6 de julho de 2009

Teoria: Haver como verbo impessoal

Tudo bem, pessoal?

Para a próxima questão necessitaremos entender o uso do verbo haver em duas situações especiais. De suas 26 possibilidades de uso que registra o dicionário Houaiss duas são de especial importância e, diga-se de passagem, não caem em concursos, DESPENCAM!

As supramencionadas possibilidades são: o verbo HAVER no sentindo de existir e no sentido de tempo transcorrido.

Tais verbos, ainda segundo o Houaiss, são verbos impessoais e possuem a transitividade direta (VTD), ou seja, não regem preposição para se ligar ao seu objeto (objeto direto).

Ser impessoal quer dizer que ninguém é responsável pela ação de existir ou do tempo ter transcorrido, não existe um sujeito a quem podemos imputá-las. Por este motivo, o verbo haver em tais situações ficará sempre na 3ª pessoa do singular, que é a nossa pessoa genérica, usada - entre outros casos - em indeterminações.

Vamos a exemplos:

Verbo haver no sentido de existir.

1 - Não mudaremos o país se não houver transformações profundas na Educação Básica.

Este haver está no sentido de existir, "se não existirem transformações..."

Poderíamos ficar tentados a flexionar o verbo haver de acordo com transformações, o que seria um erro, pois este é seu objeto direto, e não seu sujeito. Lembrando que sujeito é o elemento que se subordina (se sujeita, daí o nome) ao fato verbal, dando-lhe as flexões de número e de pessoa.

Então se não há sujeito na oração, não há que se falar em flexionar o verbo haver.

Não sei se perceberam, mas quando substituí o verbo haver pelo existir, eu o flexionei de acordo com transformações. Alguém sabe o porquê?

O verbo existir é um verbo intransitivo, ou seja, são verbos que possuem sentido completo, não necessitando de um objeto para complementar seu sentido. A simples oração "Existo." já passa uma informação completa.

Na frase "Não mudaremos o país se não existirem transformações profundas na Educação Básica.", transformações profundas não mais é objeto direto, agora passou a ser sujeito posposto ao verbo, devendo este (verbo) com aquele (sujeito) concordar. As transformações profundas estão sofrendo a ação de existir. E no haver? Neste transformações profundas é seu objeto direto, seu complemento verbal, necessário ao entendimento da mensagem passada pelo verbo haver, que sozinho não passa mensagem alguma.


Um "pega" bastante comum em provas, é usar locuções verbais (mais de um termo que funcionam como um verbo) com a palavra haver atuando como verbo principal ou verbo auxiliar.

Só para relembrar, em uma locução verbal, o verbo principal é aquele que traz a carga de sentido, sendo seu auxilar um.. auxiliar! É seu auxiliar que fará o trabalho sujo, devendo se flexionar em tempo, modo.. e com o sujeito - se houver um.

Exemplos:

1 - Deve haver mais livros nesta casa.

Deve: Verbo auxiliar, flexiona-se em tempo e modo mas não com o sujeito, pois não há um. (haver, seu verbo principal, está no sentido de existir, sendo impessoal.)

Haver: Verbo principal, não se flexiona de maneira alguma, pois é o verbo principal. Ademais, ele leva seu auxiliar à 3ª pessoa do singular por ser um verbo impessoal no sentido de existir.

1 - Haverão de existir mais livros nesta casa.

Haverão: Agora como verbo auxiliar, flexiona-se em tempo, modo e com o sujeito do verbo existir, que é "mais livros".

Existir: Verbo principal, não se flexiona mas manda seu auxiliar se flexionar para ele em tempo, modo e com seu sujeito "mais livros".

Perceberam a diferença? Quando o haver trabalha como principal ele não concorda com ninguém e manda seu auxiliar também não concordar. No entanto, quando este é um mero auxiliar, faz o que seu verbo principal manda.


Verbo haver no sentido de tempo transcorrido.

2 - "Há dois anos que não o vejo"

O verbo haver no sentido de tempo transcorrido é impessoal e possui transitividade direta, assim como no sentido de existir. Pelos mesmos motivos deve permanecer sempre na 3ª pessoa do singular.

Não dá para fazer muitos "pegas" com este caso, uma vez que percebamos se tratar de verbo haver no sentido de tempo transcorrido, terceira pessoa do singular nele!

Em breve exercícios sobre este assunto!

5 comentários:

Beto Chaves disse...

faço questão de parabenizar pela postagem. entendi tudo. Grato

Águia disse...

Há tempos que venho tentando entender esse assunto do porquê deste verbo haver ser impessoal, neste caso. Através desta ótima explicação consegui entender um pouco melhor. Vou continuar de olho nesse assunto tão importante.

Esse professor é muito bom!

Danieli Sousa disse...

Muito obrigada, pelo esclarecimento, parabéns e continue nos ajudando, senão fosse esta postagem eu teria que ler várias páginas de livros para tentar entender o verbo haver.

Unknown disse...

Parabéns pela excelente explicação.

Anônimo disse...

Muito boa a explicação... Parabéns!