segunda-feira, 6 de julho de 2009

Teoria: Expressão "A olhos vistos"

Tudo bem, pessoal?

Vamos discorrer agora sobre a expressão "a olhos vistos", que é uma expressão muito comum, muito utilizada e também muito cobrada em concursos.

Durante minhas pesquisas encontrei duas visões sobre esta expressão, a contemporânea (mais cobrada) e a arcaica, sobre as quais comentarei a seguir:

Contemporânea:

Defendida pelos gramáticos da atualidade, afirmam que a expressão "a olhos vistos" é uma locução adverbial (mais de um termo funcionando como um advérbio) e portanto, INVARIÁVEL.

Lembre-se que os advérbios formam uma classe gramatical que tem como principal função dar detalhes de como ocorre uma certa ação, expressa por um verbo, exprimindo circunstâncias em que esse processo se desenvolve.

No entanto, apesar da palavra advérbio lembrar a palavra verbo, ele não modifica somente os verbos, mas também os próprios advérbios e os adjetivos.

Mas por que o advérbio é invariável? Essa é uma pergunta que muito me fiz, mas a pergunta correta seria: Por que adjetivo, pronome adjetivo, numeral adjetivo, e artigo devem concordar com o substantivo a que se referem? A resposta é simples: É uma regra, algo originário da língua latina.

Pois bem, convencionou-se que iriam existir duas formas de concordância, a nominal e a verbal. Na nominal, artigo, adjetivo, pronome adjetivo e numeral adjetivo devem concordar com o substantivo a que se referem. Na verbal, o verbo se flexiona para concordar com o seu sujeito - quando houver. Como o advérbio não se enquadra em nenhuma dessas opções, deve sempre permanecer invariável, assim como suas locuções.

Retornando a nossa expressão "a olhos vistos", ela é uma adjunto adverbial de modo, que transformada em um advérbio clássico (com o sufixo -mente) ficaria: visivelmente.

Exemplo: "Ela engordou a olhos vistos."

Ou seja, ela engordou de modo visível.

Arcaica:

Já na visão arcaica, tão estranha quanto incomum, a palavra vistos não faz parte da locução adverbial, que passa a ser somente "a olhos", adjunto adverbial de instrumento.

No exemplo acima, o agora verbo "ver" deve concordar com o sujeito a que se refere (Ela):

"Ela engordou a olhos vista."

Que seria o mesmo que dizer: "Vista a olhos ela engordou" ou "Ela engordou vista a olhos", ensejando o sentido de que usando o instrumento "olhos" para ver a mulher (algo meio estranho pois de que outra maneira poderia se ver?), perceberemos que ela engordou.

Creio eu que os gramáticos atuais notaram o absurdo dessa segunda sentença e resolveram não mais adotá-la. No entanto, fique atento a uma banca mais conservadora que queira cobrar este segundo modo em prova.

Em breve postarei a teoria sobre as expressões "um e outro" e "mais de um", que, junto a essa, são necessários para a resolução do próximo exercício.

Um abraço!

5 comentários:

Luis Hector San Juan disse...

A forma arcaica - "a olhos vista" - é mais bonita e traduz exatamente o resultado da visão. Atente-se ao fato de notar que alguém engordou apenas pela apreciação da sua aparência pode resultar em uma impressão falsa (há vestimentas que pronunciam o volune do corpo e outras que o reduzem).
Na minha opinião a expressão "a olhos vistos" não passa de um artifício gramatical.

Charles Marlet disse...

A forma arcaica já foi cobrada em uma prova do ITA.

Anônimo disse...

Não vejo qualquer problema em usa a expressão a "olhos vista". Gostei da explanação de uma forma geral.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

A forma arcaica ainda é cobrada em concursos